1781-1790

1781 – Igreja de São Gonçalo
Localizada no bairro do Porto, a Igreja de São Gonçalo foi inaugurada em 15 de novembro de 1781 com a transferência da imagem do santo da antiga capela na foz do rio Coxipó. A atual igreja é de 1916, possuindo na fachada imagens dos quatro evangelistas e, no alto da torre de 36 metros de altura, a imagem do Cristo Redentor. Encontra-se fora da área de tombamento federal, mas é tombada em nível estadual.


1782 – Ordem para escrever os Annaes
A rainha de Portugal Dona Maria, através de provisão régia expedida pelo Conselho Ultramarino (20 de julho de 1782), ordena aos ouvidores das comarcas que se faça “[…] as Memórias anuais dos novos estabelecimentos, fatos, e casos mais notáveis e dignos de história, que tiverem sucedido desde a fundação dessa capitania e forem sucedendo; sendo estes escritos pelo Vereador segundo […]”.


1782-1783 – Descumprimento da Carta Régia
A ouvidoria da capitania de Mato Grosso, sediada na Vila Bela, começou a pressionar a câmara da Vila Real do Senhor Bom Jesus do Cuiabá, para que desse cumprimento à ordem régia (registrar os Anais). Mas dada a animosidade entre a câmara cuiabana e o governo e ouvidoria sediados na Vila Bela, dentre outras razões pela apropriação das rendas de São
Pedro del Rei (atual Poconé), pertencente ao termo da Vila Real, a execução da ordem se foi postergando.


1784 – Atentado ao juiz
O Juiz de Fora do Cuiabá, Antônio Rodrigues Gaioso, sofre atentado de morte na casa junto à igreja de Santana na Chapada


1786 – Início da produção dos annaes
Só em meados de 1786 teve início a produção dos Anais do Cuiabá. Figura proeminente nesse processo foi o Juiz de Fora Diogo de Toledo Lara Ordonhes, de poderosa família paulistana e com laços de parentesco entre membros da “elite” do Cuiabá.


1790 – Vista da cidade
Passagem por Cuiabá da Viagem Filosófica de Alexandre Rodrigues Ferreira. Desenhista da expedição deixa magnífica vista da cidade

error: O conteúdo está protegido !