A hora da Sesta cuiabana: o cochilo do vigor!

por Editoria/AC

Além do guaraná ralado e de um bom papo sentado à beira da calçada antes do anoitecer, o cuiabano também gosta de apreciar, com rigor, a hora da sesta. Sesta é aquele breve cochilo que vem após o almoço. É um período de sono tradicional e muito comum na cidade.

A palavra sesta tem origem na expressão latina “hora sexta”, que no calendário romano correspondia à sexta hora a partir do início da manhã, ou seja, ao meio-dia.

Agora, seria lógico dar um cochilo após o almoço?Como afirma o médico e especialista na gestão de residenciais para idosos, doutor Telmo Diniz, a sesta é um hábito cultural fortemente arraigado em países como a Espanha, Itália e Portugal. Há relatos de que a sesta surgiu como uma reação ao clima e que, por isso, as pessoas optavam por dormir nas horas mais quentes do dia e trabalhar nas horas mais frescas.

É fato que um cochilo depois do almoço pode fazer um bem enorme para qualquer indivíduo. O hábito da sesta é uma prática agradável que revigora a pessoa, melhora o estado de alerta à tarde e alivia o estresse.
Diniz afirma que dormir a sesta é benéfico para a saúde porque o cérebro precisa de descansar depois da alimentação. Se descansarmos após comer, nossa capacidade de resolver problemas aumenta, estimulando a criatividade, a imaginação e a intuição. Ao longo dos últimos anos, pesquisadores vêm reforçando a importância do sono para nossa memória.

Estender o tempo da sesta é algo que o cuiabano de tchapa e cruz gosta de fazer. Mas estudiosos afirmam que o ideal seria entre 15 e 20 minutos, no máximo. É o tempo suficiente para descansar e gozar os benefícios da mesma. Prolongar muito a sesta, pode ocasionar maior sonolência no restante do dia, bem como prejudicar o sono noturno.

0 comentário
0

VOCÊ PODE GOSTAR

Deixe um comentário

error: O conteúdo está protegido !