Círculos de Construção de Paz transformam ambiente de trabalho no Fórum de Cuiabá

Os servidores do Fórum de Cuiabá estão vivenciando os ‘Círculo de Construção de Paz’. A ação humanizada da Justiça Restaurativa que utiliza como base o diálogo e escuta ativa para resolver e prevenir conflitos do cotidiano social, foi realizada nesta quinta-feira (1 de fevereiro), com a equipe de trabalho da Central de Arrecadação e Arquivamento (CAA). 
 
A iniciativa de realização dos ‘Círculos de Construção de Paz’ integra o plano de gestão da diretoria da unidade judiciária, que está sendo promovendo a metodologia, desde de 2023. E para oportunizar a participação de todos os servidores, uma equipe está conduzindo o processo dinâmico que foi dividido em duas etapas.
 
“A juíza diretora do Fórum, Edleuza Zorgetti, teve a iniciativa de trazer essa poderosa ferramenta da Justiça Restaurativa para ser realizada com a nossa equipe. Iniciamos os Círculos de Construção de Paz com os servidores da área administrativa, assim que concluir vamos realizar também com o setor judiciário. O resultado é satisfatório, a mudança na pessoa que participa é muito significativa, todo mundo gosta. Esse esforço da diretoria resulta em um ambiente de trabalho saudável e acolhedor, essa iniciativa tem sido bem recepcionada por todos”, declarou Ana Maria Locatelli, servidora e organizadora da ação. 
 
A estagiária do CAA, Maria Clara Avancini, teve a oportunidade de vivenciar pela segunda vez a dinâmica do ‘Círculo de Construção de Paz’, experiência que tem proporcionado conhecimento e boas relações interpessoais no ambiente profissional e na vida pessoal.
 
“É notório para todos nós que essa ferramenta proporciona resultados no espaço profissional e pessoal, eu tenho levado esses aprendizados para dentro da minha casa, tenho aprendido muito no Círculos de Paz, pois isso melhora até a convivência com os nossos colegas. Eu tenho feito uma análise sobre a minha vida, sobre as minhas ações… Aqui é um momento de comunhão, tudo que acontece é muito importante para cada um de nós. Recomendo que todos participem desta incrível experiência que pode transformar a sua vida”, declarou Maria Clara. 
 
Ao longo de 2024, várias rodas de ‘Círculos de Construção de Paz’ serão realizadas. Conforme o cronograma de planejamento da diretoria do Fórum, a missão da gestão é promover círculos de diálogos nos mais de 50 setores, com grupos de 8 a 10 servidores, até atingir a meta de cerca de 2 mil pessoas que trabalham na Comarca de Cuiabá. 
 
O Círculo de Construção de Paz é processo dinâmico que permite a identificação e a compreensão das causas e necessidades subjacentes à convivência humana e a busca da sua transformação em atmosfera de segurança e respeito. O método, estruturado com base nos princípios e valores das práticas restaurativas e da cultura da paz, está sendo realizado com todos os públicos da sociedade. 
 
O Núcleo Gestor da Justiça Restaurativa (NugJur), contabiliza 1.950 Círculos de Paz realizados, com a participação de 23 mil pessoas. Além disso, foram firmados 19 termos de cooperação técnica para realização da metodologia da justiça que conta com uma equipe de 900 facilitadores ativos para conduzir a realização do ‘Círculos de Construção de Paz’.
 
#ParaTodosVerem – Esta matéria possui recursos de texto alternativo para promover a inclusão das pessoas com deficiência visual. Foto 1: A imagem mostra o grupo de servidores do Fórum de Cuiabá que participaram da dinâmica. São 14 pessoas, sendo três homens e onze mulheres. Estão ao lado de uma réplica de árvores, no centro os objetos que compõem os elementos do Círculo de Construção de Paz.
 
Carlos Celestino/ Fotos: Eduardo Guimarães
Coordenadoria de Comunicação da Presidência do TJMT
imprensa@tjmt.jus.br
 

Fonte: Tribunal de Justiça de MT – MT

Almanaque

Almanaque

O Almanaque Cuyabá é um verdadeiro armazém da memória cuiabana, capaz de promover uma viagem pela história em temas como música, artes, literatura, dramaturgia, fatos inusitados e curiosidades de Mato Grosso. Marcam presença as personalidades que moldaram a cara da cultura local.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *