Juiz desenvolve projeto que divulga métodos autocompositivos para estudantes de Rondonópolis

Na noite desta quinta-feira (07), o juiz Wanderlei José dos Reis, coordenador do Cejuc da comarca de Rondonópolis e titular da 2ª Vara de Família e Sucessões, palestrou para dezenas de acadêmicos do curso de Direito da Universidade Uniasselvi, campus de Rondonópolis/MT, em evento promovido pela instituição.
 
O juiz coordenador desenvolve há mais de 3 anos o “Projeto Conhecendo Cejuc de Rondonópolis”, com o objetivo de informar a população de maneira simplificada sobre os serviços prestados nessa unidade judiciária de 1º grau, as formas de acessá-la e também divulgar os métodos autocompositivos de solução de conflitos.
 
A palestra já foi ministrada para outras centenas de pessoas e divulgada em emissoras de rádio e de televisão e significou mais uma oportunidade de atingir aqueles que ainda desconheciam o papel do CEJUSC e a importância da autocomposição como instrumento de pacificação social.
 
O juiz Wanderlei Reis busca basicamente com sua iniciativa em suas palestras nas faculdades e em entidades de Rondonópolis e na mídia em geral “realçar a existência dessa unidade judiciária, suas atribuições e a forma de acessá-la, de uma forma bastante clara. Nessa Política Judiciária Nacional de Tratamento Adequado de Conflitos nosso objetivo é a aproximação cada vez maior do Judiciário com a sociedade na disseminação da cultura da pacificação social, em substituição a cultura do litígio. É o Poder Judiciário disponibilizando os meios adequados de solução de conflitos, a fim de que se chegue ao real interesse das partes, capaz de pacificar o conflito e não apenas extinguir um processo (o que são coisas diferentes).”, disse o magistrado.
 
A coordenadora do Curso de Direito da Universidade Uniasselvi, campus de Rondonópolis, Vergínia Chinelato, afirmou que “o Projeto Conhecendo o Cejusc de Rondonópolis, desenvolvido pelo juiz coordenador, Dr. Wanderlei José dos Reis, representa uma ponte muito importante entre a experiência acadêmica e o Poder Judiciário, alicerçando assim o caminho prático dos alunos, enquanto se preparam para atuar no mercado de trabalho, como profissionais de excelência.”
 
O acadêmico de Direito, Gabriel da Silva Santos, ficou entusiasmado com a oportunidade de ouvir a respeito da autocomposição: “Eu achei interessantíssima a ótica nova que o doutor Wanderlei trouxe para a gente sobre a ação do Cejusc e o que é feito por lá nesse ambiente jurídico, todo o processo e o que é feito, e também é interessante a ótica da conciliação e da mediação e o conceito que ele trouxe hoje, pois ainda não temos muita habituação com o assunto.”
 
Ao final do evento o juiz coordenador recebeu uma homenagem da faculdade pela como forma de agradecimento pela difusão do conhecimento jurídico e pela parceria do Cejusc local na formação acadêmica, já que a unidade judiciária também realiza audiências de conciliação no núcleo de prática jurídica da universidade, aproximando a teoria com a prática.
 
Como fruto de seu projeto, o juiz coordenador lembra que hoje o Cejusc de Rondonópolis é o mais demandado de Mato Grosso, ou seja, o mais procurado de todos os quase 50 Cejusc do Estado na fase pré-processual. “Portanto, as pessoas vêm ao Cejusc local buscando, através de audiência de conciliação ou de mediação, a solução de um conflito social, isso antes mesmo de ingressar com um processo judicial. Sendo que o nosso índice de acordos nessas audiências alcança 70%. É a pacificação social sendo, de fato, efetivada. E isso representa menos processos chegando ao Judiciário, e a Justiça podendo ser mais célere nos processos existentes.”, finaliza o juiz Wanderlei Reis.
 
Paralelamente às sessões de conciliação e mediação em reclamações pré-processuais e processos judiciais, além do atendimento ao cidadão e à cidadã no balcão da secretaria, a unidade judiciária está empenhada trabalhando na implantação da Justiça Restaurativa na comarca de Rondonópolis, sendo um destaque nacional nessa atuação no ano de 2023.
 
#ParaTodosVerem – Esta matéria possui recursos de texto alternativo para promover a inclusão das pessoas com deficiência visual. Imagem 1: fotografia colorida registrando a palestra. A sala de aula está repreta de alunos. Eles estão sentados e olham para o juiz, que faz palestra. Ele está em pé, segura o microfone e olha para os participantes. 
 
Coordenadoria de Comunicação da Presidência do TJMT
imprensa@tjmt.jus.br
 
 

Fonte: Tribunal de Justiça de MT – MT

Almanaque

Almanaque

O Almanaque Cuyabá é um verdadeiro armazém da memória cuiabana, capaz de promover uma viagem pela história em temas como música, artes, literatura, dramaturgia, fatos inusitados e curiosidades de Mato Grosso. Marcam presença as personalidades que moldaram a cara da cultura local.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *