Justiça Restaurativa de Rondonópolis inicia atividades do ano com círculo de paz entre facilitadores

O Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc) de Rondonópolis deu início aos trabalhos do ano de 2024 com um círculo de paz realizado entre os facilitadores dos círculos de construção de paz certificados na comarca. O encontro foi realizado nessa quarta-feira (17 de janeiro).
 
A ideia do Cejusc local foi a de proporcionar um momento de troca de experiências, de acolhimento e de orientação aos facilitadores, que atuam majoritariamente na rede estadual de educação do município, antes mesmo do início das aulas.
 
Realizado nas dependências do Tribunal do Júri, o círculo de construção de paz contou com a participação de 23 facilitadores formados na comarca no ano de 2023 e abordou um tema leve e agradável para celebrar o início do ano letivo de 2024, proporcionando um momento de descontração e reflexão a todos.
 
“É um momento muito oportuno da Justiça Restaurativa em Rondonópolis, que criamos já no início do ano para termos maior proximidade com os facilitadores, que tanto colaboram com a disseminação da cultura da paz na comunidade. Conhecer as dificuldades deles e os acolher é muito importante para conseguirmos auxiliá-los no êxito da aplicação da ferramenta nas escolas, antes mesmo do início das aulas, servindo também de estímulo a cada um. Aproveitamos ainda o momento para os orientar e exortar a continuarem com esse trabalho voluntário tão lindo e fundamental para a comunidade escolar e para a pacificação social”, frisou o juiz Wanderlei José dos Reis, coordenador do Cejusc.
 
O magistrado lembra dos avanços conquistados nos últimos anos, no qual a rede estadual já conta com cerca de 100 facilitadores habilitados pelo Poder Judiciário a realizarem os círculos de construção de paz nas escolas. Em 2024, o foco será a implantação na rede municipal de ensino, com um novo curso de formação de facilitadores, para beneficiar os mais de 41 mil alunos da rede pública local.
 
Para a facilitadora Sandra Rodrigues Chaves, professora e assistente social, cada círculo representa uma nova oportunidade de aprendizado: “meu primeiro contato com o círculo de construção de paz foi no início de 2023, e desde então foram oito participações, entre fazer parte e como facilitadora. Nenhum é igual ao outro, e agora participando do primeiro de 2024, comprovo mais uma vez que cada um é especial, as experiências vividas são indescritíveis, o ato de ouvir traz sabedoria para vida”.
 
Além desta ação, o Cejusc também se prepara para que os círculos sejam realizados nas escolas municipais ainda no ano de 2024, mediante novo curso de formação para educadores, buscando atingir todos níveis de ensino e promover ainda mais a pacificação de conflitos nesse meio.
 
No estado de Mato Grosso, os círculos de construção de paz desenvolvidos com a participação do Poder Judiciário já são aplicados em comunidades, nas escolas, nas instituições públicas e privadas, no sistema penitenciário e socioeducativo, além de outros muitos locais, e podem ser solicitados diretamente nos Cejuscs ou pelo portal do Núcleo Gestor da Justiça Restaurativa (NUGJUR) no site portalnugjur.tjmt.jus.br.
 
#Paratodosverem – Esta matéria possui recursos de texto alternativo para promover a inclusão das pessoas com deficiência visual. Primeira imagem: foto horizontal colorida dos facilitadores participando do círculo de paz. Todos estão em uma roda segurando sacolas de papel com um embrulho dentro. Ao centro, no chão, várias palavras escritas em papéis coloridos e ilustrações. Segunda imagem: foto horizontal colorida do grupo participante do círculo de paz. Várias pessoas estão sentadas em cadeiras brancas em círculo, uma mulher fala e todos olham para ela. Ao centro, estão as fitas de papel colorido com as palavras usadas na dinâmica.
 
Coordenadoria de Comunicação da Presidência do TJMT (Com informações do Cejusc de Rondonópolis)
imprensa@tjmt.jus.br
 

Fonte: Tribunal de Justiça de MT – MT

Almanaque

Almanaque

O Almanaque Cuyabá é um verdadeiro armazém da memória cuiabana, capaz de promover uma viagem pela história em temas como música, artes, literatura, dramaturgia, fatos inusitados e curiosidades de Mato Grosso. Marcam presença as personalidades que moldaram a cara da cultura local.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *