Profissionais da educação de Várzea Grande participam de atividades da Justiça Restaurativa

Profissionais da educação de Várzea Grande participaram da palestra “Princípios e valores da Justiça Restaurativa no cotidiano profissional”, promovida pelo Núcleo Gestor da Justiça Restaurativa (Nugjur), do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, no auditório do Tribunal do Júri do Fórum de Várzea Grande, na tarde dessa terça-feira (12 de março).
 
Conduzida pela assessora especial da Presidência para assuntos da Justiça Restaurativa, Katiane Boschetti da Silveira, a palestra abordou conceitos da Justiça Restaurativa, falou sobre comunicação não violenta, memórias e sentimentos dos profissionais, além de propor a reflexão sobre como a Justiça Restaurativa pode instrumentalizar e trazer novos olhares para a área da educação.
 
Diretora do Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Aurélia Correa de Almeida, a pedagoga Flávia Frazão se levantou em meio à plateia de 100 pessoas para falar sobre suas lembranças positivas e negativas de alguns professores que ela teve ao longo da vida. Para ela, a iniciativa vai ao encontro daquilo que já é trabalhado nas escolas e creches para lidar com crianças, adolescentes e suas famílias.
 
“Nós, que estamos na gestão escolar, precisamos ter o diálogo com as famílias. Recebemos famílias de diversos tipos, então precisamos estar preparados para que possamos ter esse suporte e vir a atender essas demandas que estão chegando na unidade escolar. A Justiça Restaurativa vem ao encontro com o que já fazemos, como um instrumento a mais para nos ajudar com as famílias”, expressa Flávia.
 
A palestra faz parte de um plano de implementação da Justiça Restaurativa como política pública na área da educação em Várzea Grande. Já foram formados 25 educadores como facilitadores de círculos de construção de paz e agora foi iniciado o processo de formação de mais 100.
 
“Na cidade de Várzea Grande, cada escola terá um facilitador de círculo de construção de paz. A aula de hoje é o start para esses professores. Nós podemos utilizar a Justiça Restaurativa para trabalhar situações cotidianas dentro da escola, tanto para prevenir os conflitos que surgem, quanto abordá-los de uma forma diferente”, explicou a palestrante Katiane.
 
Além da palestra, os participantes também fizeram círculos de construção de paz, divididos em cinco grupos de 20 pessoas cada, nas salas do Fórum de Várzea Grande.
 
Todo o trabalho começou em outubro de 2023, quando um termo de cooperação foi firmado entre o TJMT e a Prefeitura de Várzea Grande, com o objetivo de implementar a política de pacificação social nas escolas da cidade. No dia 29 de fevereiro, a assessora Katiane Boschetti proferiu palestra para diretoras e diretores das 93 unidades escolares municipais de Várzea Grande e se reuniu com a primeira-dama do município, Kika Dorileo Baracat, para alinhar o processo de implementação da política de pacificação social.
 
Também participaram da palestra profissionais das áreas de assistência social e segurança pública, no intuito de pensar futuros planos de implementação da Justiça Restaurativa em suas respectivas áreas.
 
Leia também:
 
 
 #Paratodosverem
Esta matéria possui recursos de texto alternativo para promover a inclusão das pessoas com deficiência visual. Imagem 1: foto horizontal colorida da palestra. A plateia está sentada, de costas para a câmera, e em destaque, em pé, está a palestrante Katiane Boschetti, que olha para o público, sorri. Ao fundo há uma projeção de tela em tons de amarelo com imagens de corações. Imagem 2: foto horizontal colorida do círculo de paz feito com um grupo de 18 mulheres, todas estão sentadas em cadeiras de madeira, em uma roda, se preparando para iniciar a dinâmica. Ao centro, há fitas coloridas com palavras escritas dispostas em círculo, onde no meio estão objetos lúdicos, como pelúcias, plantas, uma almofada e um livro. Imagem 3: foto horizontal colorida da diretora Flávia participando da palestra. Ela está em pé, em meio à plateia sentada, fala diante de um microfone. Ela veste uma blusa verde e calça jeans, usa óculos e tem os cabelos loiros com mechas presos. 
 
Mylena Petrucelli/Fotos: Ednilson Aguiar
Coordenadoria de Comunicação da Presidência do TJMT
imprensa@tjmt.jus.br 
 

Fonte: Tribunal de Justiça de MT – MT

Almanaque

Almanaque

O Almanaque Cuyabá é um verdadeiro armazém da memória cuiabana, capaz de promover uma viagem pela história em temas como música, artes, literatura, dramaturgia, fatos inusitados e curiosidades de Mato Grosso. Marcam presença as personalidades que moldaram a cara da cultura local.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *