Casamento do presidente Deodoro da Fonseca ocorreu em Cuiabá no século XIX

por Editoria/AC

Um acontecimento político e social que ocorreu em Cuiabá em 16 de abril de 1860 e que merece destaque no Almanaque foi o casamento do então capitão Manoel Deodoro da Fonseca, que mais tarde, como marechal, proclamou a República do Brasil em 15 de novembro de 1889, tornando-se o primeiro presidente provisório e republicano.

A cerimônia que o uniu a Mariana Cecília de Souza Meirelles foi realizada na Paróquia da Sé do Senhor Bom Jesus de Cuiabá.
Natural de Lagoa do Sul (AL), ele tinha à época 33 anos. Já ela, aos 34, veio de Barra Mansa (RJ) para Cuiabá junto com a família. Conheceram-se em 1860 e depois de poucos meses de namoro, se casaram. Eram conhecidos pelos apelidos de Maneco e Marianinha. Entre as autoridades presentes na celebração destacam-se: o presidente da Província de Mato Grosso, Antônio Pedro de Alencastro e o bispo diocesano dom José Antônio dos Reis, dentre outras.

O casamento ocorreu 29 anos antes do Brasil se tornar República. Depois de casado, Deodoro da Fonseca passou a servir como ajudante de ordem de seo Alencastro, então presidente da Província. Dois anos depois, mudou-se com a esposa para o Rio de Janeiro. Em 1864, com a Guerra do Paraguai, Deodoro da Fonseca e mais sete irmãos foram defender o Brasil contra as tropas de Francisco Solano Lopes, mas a mulher ficou morando com as sete cunhadas.

O marechal morreu em 1892 e Mariana, em 1905, ambos em Barra Mansa-RJ. O Diário de Cuiabá já prestou singela homenagem à dona Mariana com a manchete estampada com o título: Cuiabana foi a primeiríssima-dama do Brasil.

0 comentário
0

VOCÊ PODE GOSTAR

Deixe um comentário

error: O conteúdo está protegido !