Visita a toalete abrevia obras do Aeroporto Marechal Rondon

por Editoria/AC

A história da construção do aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, vem de longe. Passa pelo primeiro pouso no bairro Campo Velho, em março de 1929, se estendendo ao ano de 1939 com a inauguração do aeródromo, onde hoje é a Vila Militar, em Cuiabá. Em 1942, foi criado em Cuiabá o distrito de obras do Ministério da Aeronáutica, e um novo aeroporto foi planejado. Várzea Grande foi escolhida para sediar esse novo aeroporto, por possuir melhores condições de operacionalidade que a capital estadual.

Em 1949, o terreno do aeroporto foi doado pelo governo estadual ao ministério, e a pista de pousos foi inaugurada em 1956. O terminal de passageiros funcionou precariamente na sede do canteiro de obras até 1964, quando o novo terminal foi construído. Em fevereiro de 1975, a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária assumiu a administração do aeroporto e deu início à execução de várias obras para atender às necessidades do complexo aeroportuário.

FATO INUSITADO

Mas em 1963, um episódio curioso abreviou a modernização do Aeroporto Marechal Rondon, cujas obras se estendiam desde 1956.  Segundo registros históricos, de passagem por Cuiabá, a então primeira-dama Maria Tereza Goulart, esposa do presidente João Goulart, desembarcou no terminal e, deparando-se com as precárias condições dos toaletes e demais aposentos, solicitou ao presidente que providenciasse o término das obras do aeroporto, justificando que um aeroporto de um estado tão privilegiado estrategicamente não poderia apresentar deficiências físicas e sanitárias como tinha constatado. Ela se articulou, contactou com os ministérios específicos e as instalações foram melhoradas em 1964 e em 1975 a Infraero assumiu o controle do sistema.

0 comentário
0

VOCÊ PODE GOSTAR

Deixe um comentário

error: O conteúdo está protegido !